link-phone (31) 2552-8963 link-whatsapp (31) 97355-6267 Atendimento

Entenda qual a diferença entre transfer e sublimação

Escrito Por: Leonardo Mendonça Publicado em: Transfer ou Sublimação? Data de Criação: 06/07/2021 Comentários: 2

Um tópico muito esperado aqui no Blog da Maquinatec
Se você leu o nosso tópico “Entenda o que é sublimação e como a sublimação é aplicada no ramo da personalização” então você já sabe o que é sublimação. Recomendamos que leia e retorne a este tópico para facilitar seu entendimento.

Uma coisa extremamente importante sobre nomenclaturas aqui no Brasil: Lá fora, em inglês se você digitar TRANSFER vai aparecer tudo, sublimação, transfer, DTF, DTG... mil coisas. Porque transfer significa transferência.... De dinheiro, de empresa, de tinta de uma coisa pra outra.

Aqui no Brasil ficou mais ou menos determinado pelo uso comum das pessoas que sublimação é o transfer com a tinta sublimática. Transfer é aquilo que transfere a 100% sem ser sublimação.

Vejamos:

 

O transfer laser se dá por meio da impressão de uma tinta de transfer em um papel que contém uma espécie de película que é capaz de deixar que a tinta “desgrude do papel” quando em alta temperatura. Isso mesmo, a tinta desgruda do papel como se ela amolecesse com a temperatura. Então ela sai completamente do papel e gruda nas tramas do tecido (ou outra superfície desejada). Ela é laser por que o laser cria um tipo de eletricidade estática no cilindro com a imagem a ser impressa. O pó da tinta adere a este cilindro onde o laser tocou. O cilindro encosta no papel e a tinta adere ao papel. Depois disso é aquecida por resistências elétricas que têm um nome mais sofisticado, fusor,   pra grudar de fato no papel.

Na sublimação, a tinta sublima (rsrs... ela vira fumaça adere na primeira coisa de poliéster que encontrar pelo caminho. Geralmente o tecido, a caneca que você colocou na prensa). Se ela não encontrar nada no caminho, a tinta sublimática vira fumaça e vai para o céu. Vira estrelinha, perdeu o trabalho... não vamos adicionar fotos da sublimação aqui, pois está tudo bem explicadinho no tópico “Entenda o que é sublimação e como a sublimação é aplicada no ramo da personalização”.

Desta forma, no transfer a tinta sai totalmente do papel e vai para o produto desejado a 100%. Se não foi 100% tem erro fatal do sistema.

 

A tinta sublimática não faz assim. Ela sempre deixa resíduos no papel. Dependendo do papel, dependendo da tinta, dependendo da temperatura, dependendo da pressão, vai ficar mais ou menos tinta no papel. Mas uma coisa é certa: Vai ficar um pouco de tinta no papel.

 

Na sublimação a tinta adere ao tecido de tal forma que parece que o tecido já foi produzido com a imagem nele. Tipo uma camisa de futebol. Você sabia que as camisas de futebol tipo essas oficiais de time são todas feitas com sublimação? Outra coisa, ao tocar com as mãos na camisa não dá pra sentir a tinta nela. Você sente o toque do tecido somente, mais nada. Se for uma caneca sublimada, você não sente a tinta. Se sentir a tinta na caneca, certamente não foi sublimada. Foi outra coisa.

 

No transfer você sente a tinta ao tocar nela. Tanto quando ela está no papel, quanto depois que transferiu para outra superfície. Ao vestir uma camisa estampada com transfer seu corpo vai sentir a estampa ali naquele local. Isto significa que a tinta pode sofrer dano com o uso. Como assim?

 

Uma camisa estampada com transfer pode trincar a tinta com o tempo ou várias lavadas (tipo o solo do sertão do nordeste). Um copo estampado com transfer pode arranhar a estampa se você passar a unha com força nele (bastante força rsrs).

Numa garrafinha com transfer a tinta vai desgastar mais ou menos igual a esta foto que eu tirei enquanto escrevo este artigo kkkkkkkk

Na sublimação a tinta não trinca, o desgaste do tempo é no tecido. A camisa fica velha, surrada mas a sublimação está alí, firme e forte, desgastada juntamente com a camisa, (mas não fica igual ao solo do sertão). Geralmente a tinta dura toda a vida útil da camiseta. Se for uma caneca, pode trincar, mas não é a tinta que trinca, é a resina da caneca que fica velha e trinca.

 

Sublimação não adere bem a algodão. Na verdade, não adere ao algodão de forma alguma. A tinta sublimática necessita de poliéster para aderir. Tem que ter poliéster na composição do material a ser estampado. Detalhe mega-importante: quanto mais poliéster tiver, mais vivas e brilhantes serão as cores. Quanto menos poliéster tiver, menos vivas e brilhantes serão as cores ao ponto de ficar bem feio o trabalho. Aqui na Maquinatec indicamos pelo menos 80% de poliéster na composição do tecido para que fique top o trabalho. Já os quadros em MDF e as canecas naturalmente possuem uma resina 100% poliéster, portanto vai ficar top sim!

 

Transfer adere em algodão. Transfer adere em praticamente tudo. Madeira, plásticos diversos, metal etc e a qualidade é sempre a mesma, sendo esta determinada pela tinta, pela impressora, pela superfície do produto (se é bem lisinha ou áspera) e pela prensagem bem executada.

 

Detalhe sobre sublimação: há uma resina especial para tecidos de algodão que quando aplicada no tecido, ela tem que passar por um processo de cura por calor na prensa térmica. Depois que esta resina secou no algodão é possível sim sublimar no algodão. Porém o custo da resina no processo como um todo faz com que possa ficar mais caro que o transfer, então esta moda não pegou bem por aqui no Brasil ainda.

 

 

Sublimação em tecidos escuros. Quanto mais escuro o tecido, menos vamos ver a sublimação destacada nele. Isto se dá por que na sublimação não existe tinta branca. Então o fundo das imagens deve ser sempre branco (camiseta branca, caneca branca, etc). Na hora de imprimir, a tua impressora vai imaginar que o fundo é branco e se a tua camisa for marrom vai dar problema na cor depois de estampado. Além disso como a tinta sublimática não se sobrepõe ao tecido, na verdade ela adere em todas as fibras se espalhando ali, ela não tampa a cor que está embaixo dela. Então se você sublimar em uma camisa preta, não vai enxergar praticamente nada da estampa. Há não ser que seja tinta neon que brilha com luz negra!!!!!! Daí só verá a estampa sob a luz negra. Legal isso da luz negra.

 

Ah! Tem o OBM também. O OBM é um produto termocolante muito usado na personalização de logomarcas, por exemplo. Ele é um patch tipo um “salompas” conhece o salompas? rsrsrs. Ele gruda na pele que quase arranca a pele na hora de tirar kkkkk. O OBM é isso para o algodão. Ele gruda no algodão através de uma cola especial ativada com calor tipo a cola da entretela. E na outra face dele ele aceita receber a sublimação.

 

Transfer em tecidos escuros. Tem transfer para tecidos escuros que precisam de recorte, como o transfer com tinta pigmentada, e tem também o transfer laser usando mpressora com tinta branca (WOW é um bom exemplo), esse tipo vai ficar top em qualquer cor escura. Lembrando que o meio mais comum de transfer em tecido escuro com tinta de fundo branco é o DTF (direct to film, ou direto no papel que na verdade é um plástico).

Impressora sublimática. Tinta líquida. Uma impressora sublimática não pode aquecer a cabeça de impressão. Se aquecer ela vai coagular a tinta sublimática nela e vai entupir a cabeça de impressão rapidamente. Prejuízo na certa.

 

Impressora transfer laser (pra copos, brindes etc) tinta pó. Ela aquece a tinta para aderir ao papel. Lembra que tem que amolecer pra aderir?

 

Impressora transfer DTF (pra tecidos geralmente) tinta líquida. Não pode aquecer, ou vai dar problema igual com a tinta sublimática.

 

Mercado da sublimação. Infinito, pois é barato. Brindes são infinitos, especialmente as camisetas e canecas. Toda corrida tipo a são silvestre, corrida dos bombeiros, da polícia militar, abadás, saídas de praia, cangas, etc. muita coisa mesmo é feita com sublimação por ser barato o processo.

 

Mercado do transfer. Um pouco menos infinito. Se for canetas, copos, long drinks etc é barato também. Até mais barato que a sublimação por que o copo/taça é muito mais barato que uma caneca resinada. Geralmente é pra eventos tipo casamento, festa etc... e não é pra durar muito tempo. Se for camisa pra fazer durar bem, é bem mais caro de produzir, a começar pelo custo da camiseta de algodão que é bem maior que o custo da malha PP, por exemplo. As tintas são razoavelmente mais caras, e a impressora é beeeem mais cara. Mas o produto é incomparável. Imbatível na qualidade e na beleza. Na verdade muita camiseta top de marca que você vê por aí é feita em DTG (que usa uma tinta muitíssimo parecida com a DTF, porém é impresso direto na camiseta pronta. Que torna o processo mais barato, porém a impressora vai na casa dos 50 mil ou mais).

Conclusão

E o que todas têm em comum? Tanto para sublimação quanto para transfer você precisará de uma prensa térmica por que ambos os processos só funcionam com a adição de calor para que a transferência ocorra. Então a prensa térmica é somente uma e serve para qualquer dos dois processos. A prensa térmica para transfer é a mesma prensa térmica para sublimação.

Leia mais sobre o que são técnicas termocolantes para a personalização

Esperamos que tenha gostado do texto. Se você gostou faça um comentário!

 

Quer ter acesso a uma tabela de tempos e temperaturas de diversos materiais para sublimação, totalmente grátis? Clique aqui e aproveite esse excelente conteúdo.

Curtiu? Deixe um comentário!

 

Saiba mais sobre a nossa história. Clique aqui!
Saiba mais sobre a nossa política de revenda. Clique aqui!

Conheça nossas prensas térmicas: Clique aqui!
Curta nossa página nas mídias sociais e fique por dentro das promoções e cupons de desconto:
 

Tags:

Comentários

WA
Walter de Aquino 06/08/2021
Quero mais informações estampar chinelo.
LA
Larissa 29/07/2021
Muito bom este blog! Ficou muito clara a diferença entre transfer e sublimação!! Parabéns!

Deixe um comentário

Captcha